Fangirling: C.M. Stunich

Sei que demorei, mas promessa para mim é dívida e por isso, finalmente vim falar mais sobre livros de Harém Reverso/Reverse Harem ou para encurtar, RH (Recursos Humanos). Inclusive, se você não sabe direito o que é, tem um post apresentando o tema! Só clicar aqui para ler, hehe

Depois de um ano que minhas leituras se resumem praticamente a esse subgênero do romance, posso dizer que agora estou apta para falar sobre o assunto! Além de, claro, vir panfletar minhas autoras favoritas, a começar pela C.M. Stunich (e, se vocês gostarem do post, vir falar das outras também hehe)

Mas, antes de começar real oficial… preciso adiantar que elas ainda não foram publicadas/traduzidas por aqui (espero que isso mude e as editoras passem a investir em RH, hehe), mas a linguagem de todas é bem tranquila. Consideraria um fácil-médio, não indico como primeiro livro em inglês, mas se você já leu outros e está querendo explorar, vai com tudo! Hehe.

Só mais um recadinho: normalmente os livros da C.M. têm bastante hot, bem como tratam de temas mais darks e com plots com uma certa tendência a sair completamente da realidade, mesmo que não sejam de fantasia propriamente dita — tem muita coisa absurda, mas para mim, elas são o charme da autora. Ou seja, se você não curte esse tipo de leitura, provavelmente melhor nem arriscar porque senão vai ficar com raiva, haha.

Mas enfim, vamos ao que interessa! Hora de fangirlar (?)!

 A C.M. Stunich escreve de forma que prende o início ao fim e ela sabe como ninguém construir um plot de dark romance e de bully. Sério. Além de histórias envolventes, personagens masculinos para todos os gostos (os arquétipos do bad boy, fofo/engraçado, misterioso etc.), ela escreve personagens femininas que, mesmo quando envolve bully, são maravilhosas. Daquelas que a gente bate palmas. 

Se você gosta de hot e não tem muita paciência para slow burn, não se preocupa porque geralmente as coisas passam a esquentar nesse sentido aproximadamente em 30% da leitura (sim, eu percebi a porcentagem haha).

Uma das grandes vantagens é que a autora escreve bem rápido, e por escrever de forma independente, também não existe aquele lance de espera de um ano para a continuação de uma série, por exemplo. Pelo contrário, é bem possível que ela seja concluída antes mesmo de completar um ano do lançamento do primeiro livro. Além de sempre ter algo novo dela vindo por aí. Enquanto escrevo este post, estou esperando cerca de 3 novos romances para este ano ainda!

Um detalhe que preciso dividir aqui: um fator que me diverte muito nos livros da C.M. é procurar os easter eggs que ela deixa em relação a outros livros dela ou até mesmo de outras autoras. Sério, ou alguns livros se passam no mesmo universo, ou então as personagens principais estão lendo e são fãs de outros… normalmente não há um encontro entre as personagens, apesar de eu super querer isso e torço para acontecer um dia. Apenas imaginando como seriam algumas das personagens se conhecendo! Mas enquanto isso não rola, sempre vai aparecer a citação de alguma outra história de alguma forma.     

Vou falar aqui de forma aprofundada de 3 títulos da autora, um stand-alone (livro único) e minhas duas séries favoritas. Foi por onde comecei minha leitura, tanto de RH, quanto da C.M. e super indico se quiser seguir o mesmo caminho que eu! 

Devils’ Day Party

Comecei minha jornada no RH com a C.M. Stunich, no livro Devils’ Day Party, romance de bully que também é uma fantasia de loop temporal. É um stand-alone (não tem continuações) e, apesar de eu não ser uma fã de histórias que abordam loops temporais, ele me prendeu o suficiente para eu adorar o livro e claro, continuar explorando o gênero pegando os outros livros RH da C.M. pra ler.  

Aliás, preciso comentar que acho que essa é a capa mais bonita dos livros da autora.

Sinopse: Bati o meu Fusquinha amarelo acabado no Aston Martin do Calix e, para ser bem honesta, ele mereceu. Foi sem querer, mas Calix e os amigos Barron e Raz não acreditaram.

Não que isso importe. 

Eles me torturaram por anos e eu nunca soube o motivo. Pelo menos hoje eles têm algo real para ficar com raiva, o que não seria exatamente muito ruim se fosse um dia normal, o que não é. Longe disso. 

Nem meu mantra “tudo passa, tudo sempre passa” vai ajudar hoje. Não no Devils’ Day. Não no pior dia da minha vida. 

Bullies gatos, carros batidos e a festa do ano. Tudo isso em um looping infinito. Alguém, por favor, me tira daqui.

Trilogia Rock-Hard Beautiful

Definitivamente uma das minhas séries favoritas da C.M.! Acho que ela e Prescott High estão empatadas em primeiro lugar. Li quando estava numa fase bem a louca dos livros da banda (ainda, amo, mas é difícil encontrar RH decente na temática) e amei tanto que considero fortemente reler enquanto escrevo este post porque bateu saudade! 

Todos os livros de Rock-Hard Beautiful já foram lançados, no entanto, no GR existe a página de um quarto volume, mas não existem mais informações sobre se é real ou não nem no site, nem nas redes sociais da autora.

Sinopse livro 1, Groupie

Avisos: Groupie é um romance sobre amor, luto, corações partidos e uma garota que se apaixona por cinco rockstars e cinco rockstars que se apaixonam por uma garota. É um livro MMMFMM (m: male / f: female) com o foco maior na mulher, embora não haja estranhamento entre os homens e seus corpos. Ele tem um feliz, não termina em cliff-hanger e é o primeiro livro de uma trilogia. Não leia se você não está preparada para chorar ou que seja contra a sexo entre 3, 4 ou mais pessoas. 

Poderia algum desses cinco rockstars preencher o vazio no meu coração? Ou eu nunca vou seguir em frente?

Jovem. Burra. Sem dinheiro.

Foi assim que tudo começou. Com cinco dólares no bolso e tudo que lhe pertencia no porta-malas do carro. A vida de Lilith Goode acabou. Foi destruída. 

Mas tudo mudou com uma mensagem de texto, um ingresso amassado para um show e um encontro ao acaso… o necessário para recomeçar a vida.

Cinco rockstars. Uma garota. Seis corações endurecidos, seis almas debilitadas. Será que uma pessoa machucada pode curar a ferida de outra? E será que uma turnê nacional é o lugar para fazê-lo?

The Havoc Boys

Eu nem tenho palavras para descrever essa série, que é composta por 5 livros e já foi concluída. Um dos melhores dark romance que eu já li, mas já aviso que esse é um daqueles repleto de coisas absurdas e impossíveis na vida real. Ou seja: é necessária uma descrença da realidade para se divertir.

Se você não curte livros desse tipo ou que envolvem gangues e violência, definitivamente nem perde tempo tentando ler THB! Mas, se você curte um dark romance, umas viagens absurdas e hot bom, essa série é total para você!  

Sinopse livro 1, Havoc at Prescott High:

Avisos de gatilhos: Havoc at Prescott High é um romance NA com foco no Ensino médio. Ele contém breves flashbacks de incidentes de bullying, linguagem repleta de palavrões e cenas de sexo. Todo conteúdo sexual do livro é consensual.

Existe uma palavra que você não ousa dizer em voz alta em Prescott High. Pelo menos não se não quiser pertencer a eles. 

H.A.V.O.C

Hael. Aaron. Victor. Oscar. Callum.

Os Havoc Boys mandam no inferno que chamamos de Prescott High e, durante um ano, eles transformaram a minha vida em um pesadelo. Durante um ano eu aguentei toda a merda que eles jogaram para cima de mim. Mas este ano, o ano de formatura será diferente.

Durante meu último ano na escola, sou eu quem vou mandar neles. Fiz um pacto com os Havoc Boys para conseguir a vingança que mereço e como vou pagar? Serei deles de corpo e alma, parte da gangue. Uma garota Havoc. Tudo para fazer todos que falharam comigo pagarem. Todos. Menos eles mesmos. 

Uma novidade sobre o universo de Prescott High: dia 7 de novembro lança o livro F*ckboy Psychos: A Dark Gang Romance, o primeiro livro da série Scarlett Force, spin-off de The Havoc Boys! Mal posso esperar, apesar de saber bem pouco sobre quantos livros serão ou se será RH e/ou bully. De todo modo, o pequeno blurb que foi divulgado já me deixou SEDENTA. 

Dá só uma olhada: “Prescott High é o inferno. O único jeito de sobreviver é dominando tudo. Carros, garotos, assassinatos. Eu sou Scarlett motherf*ucking Force e essa é a minha história.”

Posso ter falado de apenas 3 títulos de livros/séries, mas sério, eu sou muito cadelinha da autora e foram poucos os livros que não curti e não continuei lendo. Minha leitura atual enquanto escrevo este post é da C.M., inclusive, o segundo volume da trilogia Lost Daughter of a Serial Killer (nem terminei, mas também já recomendo oceanos, apesar de ser mais slow-burn do que os outros livros da autora).

Agora, talvez o ponto mais importante: onde ler os livros da C.M. Stunich? Você encontra todos na Amazon em e-book e além disso, estão todos disponíveis no KU (Kindle Unlimited). Se quiser a versão física, infelizmente essa já é mais difícil e aí é preciso apelar para o site da autora ou então importar pela Amazon US. 

Aliás, quer ver a lista completa de livros dela? Só clicar aqui para acessar o site oficial; ou aqui para ver a lista no GR; ou aqui para ver a lista dos disponíveis na Amazon Brasil! ❤

Já leu algum livro da C.M. Stunich? Tem vontade? Qual o seu favorito? Vou adorar saber! ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s