janelle milanes · Nível de inglês Básico · Resenha

Resenha: The Victoria in My Head, Janelle Milanes

Victoria Cruz vive em dois mundos: em um ela é uma rock star, arrasando no palco com sua voz rouca e mechas roxas no cabelo. No outro, a realidade, Victoria é uma adolescente tímida filha de pais Cubanos superprotetores e que apenas sobrevive e estuda em uma prestigiosa escola. Incapaz de superar o medo de palco, Victoria decide viver dentro de suas fantasias, onde nada pode da errado e tudo é criado cuidadosamente por meio de playlists musicais.
No entanto, tudo muda depois de um encontro casual nos corredores da escola com Strand, um garoto extremamente bonito que faz parte de uma banda na qual busca um vocalista, Victoria é tentada a transformar os sonhos em realidade. Mas para fazê-lo, ela precisa enfrentar as inseguranças e se vê precisando escolher entre ficar no caminho seguro que sempre viveu ou enfrentar o desconhecido para encontrar aventura, romance e perigos.

Skoob | Goodreads

The Victoria in My Head foi um daqueles livros que eu vivo querendo ler, mas nem sempre consigo encontrar. Um livro nos moldes de um dos meus favoritos da vida, Anna & The French Kiss/Anna e o Beijo Francês, que me faz devorar, suspirar, chorar, rir e me apaixonar pela história, além de me identificar demais com a personagem e querer viver as mesmas aventuras que ela, haha.

A Victoria é uma adolescente que tem a vida toda moldada e não tem muita voz ou sente que não está realmente vivendo. Para aguentar uma realidade sufocante e infeliz, ela cria mundos imaginários em sua mente, todos eles embalados por playlists musicais. No entanto, tudo muda quando ela arrisca pela primeira vez a participar de uma banda, pela primeira vez ela sai da zona de conforto e passa a viver de verdade e em especial, passa a descobrir como ama fazer parte da banda.

Todo o sentimento se sufocação da Vi, inseguranças e a forma como ela tenta não machucar/agradar todos ao seu redor foram características que me identifiquei muito e por conta disso, adorei a personagem. Ela também morre de medo de arriscar, apesar de ter uma vontade enorme e às vezes prefere deixar tudo como está do que correr riscos. Mas com o tempo, ela não só aprende que arriscar é importante e necessário se ela quiser viver de verdade ao invés de passar a vida sonhando acordada, como também que precisa enfrentar o medo e lutar pelo que quer e pelo que é certo para ela, ao invés de ficar na zona de conforto.

Os relacionamentos do livro são sensacionais. Há de todos os tipos, problemas com pais — a questão de duas gerações diferentes quererem coisas diferentes para uma mesma pessoa —, amizades, romance…a maneira como Victoria se relaciona com cada personagem ali é sensacional e a forma como tudo se conclui também. Não há vilões, não há mocinhos em The Victoria in My Head, apenas seres-humanos interagindo. Algumas atitudes são boas, outras ruins…erros e acertos são cometidos e eu só posso dizer o quão maravilhoso foi! Aliás, o livro é um daqueles que faz a gente desejar um companion para cada personagem apresentado.

Mas vou confessar que senti falta de algo: da Victoria imaginária. Apesar do título girar em torno dos cenários imaginados pela personagem principal e constantemente ela citar como cria as playlists para sonhar acordada e ser quem ela quiser, não temos um contato direto com os cenários da personagem e eu confesso que adoraria ver como é a vida que ela criou para si, haha. Apesar do livro chamar The Victoria in My Head, não temos um forte contato com essa faceta dela e eu queria mais.

A Vi aprende a enfrentar seus medos e encarar a vida de frente, também nos mostra que não são apenas terceiros que nos impedem de fazer o que queremos, mas que muitas vezes a gente se sabota por conta de insegurança, medo etc. Viver na nossa cabeça é seguro, mas também não é real. Fugir para nossos mundinhos inventados é uma ótima maneira de escapar da realidade, mas às vezes ela pode prometer coisas tão boas quanto e como a Vi, a gente precisa aprender a encarar os medos e se entregar!Eu só posso dizer que estou pura e completamente apaixonada por The Victoria in My Head, por isso acho que todo mundo deveria ler essa coisa linda, haha. Mas caso você goste de contemporâneos numa pegada Stephanie Perkins, por favor, nem pense duas vezes antes de ler o livro porque eu tenho certeza que vai gostar! Fora que, ver a maneira como uma adolescente estadunidense, criada por imigrantes e o choque de culturas também é algo bem interessante de acompanhar. Apenas leiam esse livro maravilhoso, cujo o personagem masculino (mais lindo ever) recebe o nome de uma livraria! Quer mais ou está bom?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s