Nível de inglês Intermediário · Resenha · V.E. Schwab

Resenha: This Savage Song, Victoria Schwab

Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.

Skoob | Goodreads

Eu sou completamente fangirl da Victoria Schwab, sério! A escrita dela, os plots que ela cria e os personagens me envolvem e são construídos de forma tão cuidadosa que praticamente todos os livros que eu li dela estão na minha lista de favoritos. Com a exceção de um, que é justamente a continuação de This Savage Song/TSS (ou A Melodia Feroz, em português), Our Dark Duet. Mas vou entrar em detalhes em relação a ele quando fizer a resenha dele. Por enquanto, vamos falar de como eu gostei de TSS! Haha

Uma das características que mais gosto na V. é a tendência dela jogar o leitor no meio da história, sem perder tempo com introduções, ela vai apresentando o universo que criou aos poucos, enquanto a história avança. É uma técnica que nem sempre costuma dar certo comigo e que com certeza é um dos fatores que leva muita gente a não gostar dos livros dela, mas para mim, ela é uma das poucas pessoas que conseguem fazê-lo muito bem.

TSS é narrado em terceira pessoa e traz o ponto de vista dos dois personagens principais: August e Kate. Ambos, assim como o universo de Verity são extremamente interessantes e profundos. Não pense que existe vilão e mocinho nessa história, todos eles têm seus pecados ou agem de formas um tanto questionáveis. A mesma coisa acontece na minha trilogia favorita da autora, A Darker Shade of Magic (que você pode ler a resenha clicando aqui) e ela o faz muito, muito bem.

O universo de Verity é um tanto complexo. Monstros surgiram por conta da violência e corrupção e a linha entre o que é ser humano é algo sempre debatido. Especialmente se analisarmos os pais dos personagens principais: Flynn tem os piores monstros ao seu lado, mas os trata como família e também aceita qualquer um de braços abertos, desde que a pessoa esteja disposta proteger a vida dos outros; Harker que é humano, é corrupto e precisa de pagamento para criar proteção.

Toda a relação Kate e August também tem essa dualidade: ele é um monstro, mas odeia o fato e quer ser humano. A Kate nasceu humana, mas quer virar alguém fria que agrade ao pai cruel. Os dois são opostos e deixam claro que é impossível fingir algo que não o é e acima de tudo, há toda a questão do que é ser humano. Além do mais, muitos humanos podem agir de forma muito mais “monstruosa” do que o August.

O livro acontece de maneira frenética e o romance é quase inexistente, apesar de ser ter sido descrito como Romeu e Julieta com monstros. No entanto, há ali uma atração, talvez não tão física assim entre o August e a Kate que é extremamente forte e os torna uma dupla maravilhosa e que se completa de forma perfeita. Cada um deles acaba fazendo o outro perceber coisas sobre si mesmo que os muda muito do começo para o final do livro e também no segundo volume.

TSS é um livro com uma escrita e cenário densos, mas com personagens e backgrounds tão interessantes que acaba sendo fácil de devorar. August e Kate são personagens que se completam de maneira perfeita e acima de tudo, junto com os leitores, acabam questionando o que é ser humano e o que é ser humano, por quanto tempo podemos negar quem realmente somos e acima de tudo, que nossas ações são o que nos transformam em algo bom o ruim, independente do que você é.Se você gosta de monstros, de personagens profundos e de universos bem construídos com certeza vai gostar de This Savage Song. Eu sou apaixonada pelos livros da Victoria (mozão) Schwab e mesmo que o segundo livro dessa duologia tenha me decepcionado muito, o primeiro sempre estará no meu coração, assim como o August e a Kate. O segundo pode não ter sido bom, mas o primeiro vale a pena pelos dois, de verdade!

Um comentário em “Resenha: This Savage Song, Victoria Schwab

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s