Dica de escrita

Dica de escrita: criando e mantendo uma rotina

Na primeira entrada do meu Diário de Escrita, prometi um post falando sobre as dicas que encontrei na internet que  me ajudaram a criar uma rotina de escrita e também, de certa forma, me forçaram a voltar a escrever, já que eu me encontrava no meio de alguns ~probleminhas~ para levar a continuação de Draps para frente: estava um tanto perdida em relação ao plot como um todo (não tinha uma base boa para saber para onde eu ia), o que resultou em um bloqueio gigante. Como é que eu iria escrever se eu simplesmente não sentava para fazê-lo? Esperar a criatividade bater é a desculpa mais imbecil que alguém poderia dar, não é mesmo?

Então aqui estamos nós, hehe. Depois de tomar vergonha na cara, precisava descobrir algumas dicas de como me forçar a escrever mesmo com bloqueio. A fonte de várias das dicas deste post é o blog Whatever Bright Things, que eu super recomendo porque até agora, tudo que coloquei em prática funcionou perfeitamente! Ele pode ajudar a encarar um bloqueio criativo de frente ou então apenas ajudar quem quer escrever, tem ideias, mas não sabe direito o que fazer com elas.

Outro lugar super interessante para procurar dicas de escritas (em todos os sentidos) é o Pinterest (Pinterest, bom para dicas?), foi lá que achei o blog e diversos outros endereços com as mais variadas dicas (que eu ainda não testei, por isso não estão no post), é só pesquisar por “writing pool” que muitas coisas legais vão aparecer (em inglês). ❤

Trabalhando as ideias

Mas, vamos ao que interessa! Você tem uma ideia, mas não sabe como começar a colocá-la em prática ou está com um bloqueio gigante e parece que nunca mais vai conseguir sair do lugar (e se antes a escrita fluía super bem, eu imagino a frustração que está sentindo. Been there, done that, mas não se preocupa, é normal e aos poucos tudo vai voltar a funcionar, eu prometo *abraça*).

Também não se engane como eu, que ingênua e sabendo mais ou menos aonde queria chegar, tinha certeza que por ter terminado o primeiro livro e já ter feito centenas de pesquisas, estava mandando muito não precisava pensar nas minhas ideias de forma mais profunda. Maior mentira! Só porque você tem ideias prontas, não significa que não vai precisar concentrar nelas ou elaborá-las de forma paralela à escrita do livro. Eu descobri isso da pior maneira: levando na cabeça.

Então, a primeira dica é: não comece a escrever sem pensar e anotar tudo em relação às suas ideias antes. Você saber mais ou menos quais são elas não significa que vai conseguir trabalhar na construção do plot ao mesmo tempo que as elabora. Elas precisam sim ser escritas de forma paralela ao livro/conto/roteiro/etc em si. Eu só conseguir terminar Draps porque ele foi totalmente introdutório ao universo que criei. Ele é só a pontinha do iceberg da trilogia.

Com isso em mente, o que pode-se fazer para organizar as ideias? Crie diversas pastas relacionadas à sua história e anote nelas tudo o que você sentir que precisa ou tudo que pensou sobre ela. Se você é como eu e gosta de pensar escrevendo à mão, tenha um caderno só para a história e depois de escrever nele, passe para o computador. Muitas vezes é nesse momento que você começa a elaborar tais ideias de forma melhor. O que pode ser encontrado nessas mil pastas?

  • Esboço de cada uma das ideias;
  • Pesquisas;
  • Perfil dos personagens, que pode ser organizado da seguinte forma: papel na história, descrição física, personalidade, escrevendo o passagens com o POV dos personagens secundários mais importantes.

Se você for uma pessoa visual, ter diversos notecards com anotações pode ser uma ideia também. Eles podem ajudar a planejar cenas e depois serem organizados de maneira que seja fácil visualizar o storyline.

Como preparar a rotina de escrita

  •  Fique distante de distrações e crie o ambiente onde você fique mais à vontade (se precisar sair de casa, saia e vá para um café/biblioteca/etc).
  •  Se você consegue concentrar com música (ou até trabalhe melhor com ela), crie uma playlist. O fato de você sentar e concentrar em algo que envolva a escrita já funciona como um “aquecimento”.
  • Planeje o que pretende escrever por meio de:
    – contagem de palavras ou horas que planeja concentrar na escrita
    – anotações em um planner
    – fazendo anotações sobre o que pretende escrever naquele dia

Criando a rotina

  •  Crie uma meta de escrita. Ela pode ser organizada por meio de:
    – contagem de palavras (estabeleça um número de palavras que pretende escrever) e/ou
    – o tempo no qual pretende se concentrar na escrita
  • Descubra aquilo que mais gosta e menos gosta de escrever e procure criar um balanço entre os dois.

Nos primeiros momentos pode ser difícil saber exatamente como você funciona na hora de escrever, então não se preocupe caso fique um pouco perdidx na hora de criar a rotina e acima de tudo, experimente. Vá testando diversas formas de como se manter produtivx e depois que tiver uma noção de como você funciona, fica muito mais fácil. Enquanto está se conhecendo e descobrindo o que é melhor, você pode reparar:

  • Quais dias são os mais produtivos,
  • Quais dias são os melhores para se dedicar à escrita (afinal, infelizmente não podemos só escrever, a vida precisa ser vivida e os boletos pagos, haha),
  • Quais os melhores dias para pegar leve.

Como permanecer na rotina

  • Método da recompensa: garantir algo para si mesmx sempre que conseguir alcançar as metas estabelecidas. Pode ser comer algo que gosta, comprar algum mimo, assistir a uma série ou filme que queria muito. Coisas pequenas, mas que vão produzir um efeito positivo.
  • Anotar o progresso seja num calendário ou planner: fazer isso sempre ajuda a visualizar como funciona a sua produtividade, além de incentivar também.
  •  Planejar a rotina diária/semanal: planejando o que vai fazer naquele dia ou semana pode fazer com que se force naqueles dias que está com preguiça.

Não consigo escrever nada, o que eu faço?

Você criou toda essa rotina, mas sempre tem aqueles momentos em que nada faz a escrita fluir. Você senta e olha para o papel e não consegue escrever uma linha sequer.

Primeiro de tudo, não fique mal por isso. Não se culpe!

Tem dias que realmente as coisas não vão funcionar e que escrever vai parecer mais uma obrigação do que um prazer. Você terá todo o direito de se dar uma folga ou então pode tentar alguns truques que possam ajudar a entender melhor como você funciona ou até ajudam a lembrar porque gosta tanto de escrever. Então, em vez de trabalhar no conteúdo novo, pode tentar escrever algumas coisinhas diferentes para se conhecer:

  •  Por que você ama escrever?
  •  O que não gosta muito em escrever, mas que é essencial para alcançar os objetivos.
  • Revise o que já foi feito (mas lembre-se de não ser tão críticx consigo mesmx e caso você seja e ache tudo o que faz um lixo sempre que decide reler, talvez seja melhor não fazer a revisão enquanto o produto não estiver pronto).
  • Volte a trabalhar em perfis de personagens, nas pesquisas e derivados. A concentrar naquilo que ajuda a construir a história.

Se nada disso der certo, se você está ficando ansiosx por não conseguir fazer nada, levanta. Vá dar uma volta e fazer outra coisa e deixe para amanhã. Tem dias que nada vai funcionar e escrever vai fazer mais mal do que bem! Apenas lembre-se que: um ou dois dias de descanso podem virar semanas e meses, tente não confundir uma distância saudável da sua obra com procrastinação.

Dica bônus

Scrivener. O Scrivener é um editor de texto avançado (para Windows e com diversas aplicações e atalhos específicos. Ele é ideal para escritores, jornalistas, estudantes ou até quando você está fazendo aquele trabalho acadêmico complicado (conhecido como monografia). Eu baixei a versão teste para ver se me adaptava e foi aquele sentimento de “como eu não descobri essa coisa maravilhosa antes?”. Sério, minha vida ficou muito fácil com ele e no primeiro segundo eu já vi que era a coisa mais linda que vi na vida, haha.
Por que eu gostei tanto dele e ele pode ser útil?
Sabe quando eu falei, lá no começo do post, sobre criar várias pastas com todas as informações da sua história? Então, com o Scrivener você não precisa criar 192382308 pastas. Tudo que você quer pode ser organizado em um arquivo. O material de pesquisa, rascunhos, capítulos, o que você quiser. É muito mais fácil de visualizar e se organizar.

O que mais me encantou, além de deixar todas as informações em um único lugar de fácil visualização, é o fato de que o Scrivener tem diversos modelos que auxiliam muito na hora de produzir o texto. Sabe as dicas ali em cima que eu dei para criação de perfil de personagens? Então, algumas delas vieram do Scrivener e me foram muito úteis mesmo.

Eu ainda não sei mexer direito, afinal, estava só testando para ver se era realmente bom ou se eu me adaptava, mas sei que ele tem diversas funções como definir metas e mostrar o quanto ainda tem pela frente; estatísticas (ele cria uma relação das palavras mais usadas, o que ajuda a melhorar a escrita evitando os vícios); cada porção do texto pode ser salva em um arquivo da maneira que você quer e muito mais! Sério gente, eu to apaixonada.

Mas nem tudo é lindo e perfeito, já que o Scrivener não é gratuito. Na verdade, o preço dele é bem salgadinho (US$45), mas se você pretende escrever à sério, ele é um editor realmente útil. Claro, eu recomendo usar a versão teste antes de sair comprando, que foi o que eu fiz. Só lembrando que ele é inteiramente em inglês.

E estas foram minhas dicas de escrita! Espero que tenham gostado do post! Obrigada por ler até aqui! ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s