Ichigo Takano · Resenha

Resenha: Orange, Ichigo Takano

unnamed-1

SINOPSENo primeiro dia de aula do 2º ano do ensino médio, a tímida Naho Takamiya recebe uma misteriosa carta endereçada a ela, datada de 10 anos no futuro. O seu conteúdo relatava com detalhes minuciosos e comentários pertinentes todos os acontecimentos do dia de Naho, e qual a surpresa, não só o que estava escrito realmente acontecia como também o remetente era ela mesma.
O objetivo da carta era direcionar a “Naho do presente” a impedir o maior arrependimento da vida da “Naho do futuro”: o suicídio de Kakeru Naruse, o primeiro amor da garota. Como essas cartas chegam até Naho? Por quê Kakeru irá se matar? E o mais importante: será mesmo que saber o que vai acontecer ajuda a impedir o futuro de outra pessoa?

Skoob | Goodreads

OQUEEUACHEI

Processed with VSCO with j2 preset

Hoje a resenha é um pouco diferente! Vou resenhar uma coleção de mangás que li recentemente e simplesmente me apaixonei pura e completamente e olha que fazia anos (desde que eu tinha uns 11 anos mais ou menos) desde que eu realmente consegui entrar de cabeça na história de um mangá! Eu não sei e nem vou analisar a coisa toda como mangá, afinal, eu não leio há muitos anos e entendo muito pouco. Minha resenha será em relação ao plot, desenvolvimento de personagens etc.

Sério, eu decidi ler porque a sinopse me interessou muito, eu via muita gente falando muito bem e encontrei o “box” em promoção na Amazon um dia desses. Então resolvi arriscar, mesmo sabendo que as chances de não aproveitar muito ou ir para frente eram bem grandes. Felizmente esse foi um daqueles casos que mesmo as chances estando contra, o feeling acabou acertando em cheio e eu simplesmente adorei!

Se vocês curtem mangás e animes com certeza já ouviram falar em algum momento sobre Orange. Se não, vem aqui e deixa eu apresentar essa coisinha linda! ❤

Orange tem 5 volumes, todos eles já lançados (inclusive dá para comprar todos de uma vez, que foi o que eu fiz, arrisquei mil haha) e mistura drama, romance com um toque de ficção científica (ou o que me pareceu a Teoria das Cordas, porque acho que esse é o único assunto de física quântica que me interessa) e toda a trajetória da Naho e seus amigos para salvarem o Kakeru não tem outra palavra pra descrever senão, linda. Fora que todos os personagens são extremamente cativantes!

Por conta do presente/passado-futuro, a série tem duas linhas do tempo e acompanhamos não só a vida da Naho de 16 anos, como temos um pouco da visão da vida da Naho de 26, que mandou a carta, no entanto, o foco maior é no presente, o futuro serve para entender o motivo da Naho ter enviado a carta, como ela está nesse futuro e também entender como é que ocorre o envio.

A Naho é aquela personagem que faz tudo pelos outros e basicamente tenta não chamar atenção para si mesmo, em especial quando não quer atrapalhar uma pessoa — essa personalidade dela que lhe causa arrependimentos no futuro, por isso a Naho do futuro, já mais velha, é um empurrão para que o seu eu de 16 anos viva um pouco mais por si mesma e se arrisque mais —, eu geralmente não costumo gostar de personagens tão boazinhas assim, mas por dois motivos, eu não pude não gostar. O primeiro é por ser um mangá, estou vendo uma cultura diferente da minha e em segundo lugar, não tem como não gostar da Naho, haha.

O Kakeru, por sua vez, te faz querer salvá-lo junto dos amigos e em especial da Naho, que se apaixona por ele (isso não é spoiler haha). Com o passar da leitura, a gente acaba conhecendo ele melhor e vê o relacionamento dele com os outros personagens e toda a sensação de querer cuidar e salvá-lo, vem para junto do leitor, o que causa uma tensão, afinal, a grande questão da coisa é: será que é possível salvar o Kakeru? E acima de tudo, quais são os motivos dele querer se matar?

Além da Naho e o Kakeru, temos o grupo de amigos de ambos formado por Suwa, Takako, Hagita e Azusa. Eles não têm um foco tão grande assim, mas ainda assim, a gente acaba gostando demais deles. É um grupo unido e eles fariam qualquer coisa um pelo outro, então, mesmo sem saber tanto assim da vida deles, a gente acaba gostando.

Inclusive, meu personagem favorito de todo o mangá não é nem o Kakeru e nem a Naho e sim o Suwa, que tem a atitude mais altruísta em relação a história de salvar o Kakeru, deixando-se completamente de lado e arriscando mudar seu futuro apenas para que a Naho e ele o sejam. Eu não vou entrar muito em detalhes para evitar spoilers, mas ele foi o personagem que eu mais gostei!

NOTACOISALINDA

CONSIDERACOESFINAISOrange me conquistou de uma forma que eu não esperava, eu me vi devorando os cinco volumes e quando terminei, fiquei com aquele gostinho de quero mais que só as histórias mais cativantes conseguem. Para começar, há muito tempo eu não conseguia ler um mangá que me prendesse (eu inclusive, tenho muita dificuldade para ler, eu não sei ler quadrinho/mangá haha); também há o jeito dos personagens que normalmente não iriam me conquistar, eu sou um pouco “rude” se comparar com a maneira deles agirem e ainda há a diferença da cultura oriental e ocidental e para quem não está acostumado com a oriental, há um choque na atitude e personalidade das pessoas que pode ou não tornar-se uma barreira, no caso de Orange, isso não aconteceu comigo; por último, o romance é muito mais emocional do que físico (aliás, apenas emocional, haha).

Eu sou uma pessoa que gosta do lado físico de um romance, que muitas vezes tende a cansar quando só envolve o emocional e isso não aconteceu aqui, porque ele se encaixa de forma perfeita nessa história, que mexe com a gente de diversas maneiras, fala do primeiro amor, arrependimentos, suicídio de maneira quase que doce, se é que isso é possível, afinal ainda tem o lado todo dramático e triste da coisa. Mas tudo foi criado com tanta doçura que eu não tenho outra palavra para descrever, mesmo tratando-se de assuntos pesados e tristes.

Curiosidades 

O sucesso de Orange foi tanto que não só foi transformado em anime (que eu ainda não assisti, então não saberia opinar, hehe) e em longa-metragem, que eu assisti ontem e sinceramente, foi uma das melhores adaptações que assisti. Consegui ver diversas e diversas cenas do mangá ali na tela e apesar de poucas mudanças e de algumas coisas terem ficado de fora — afinal, é impossível colocar tudo ali —, foi realmente perfeito como adaptação. Vou deixar o trailer aqui embaixo para quem quiser ver! ❤

Ah! Para “aliviar” um pouco a tensão e drama de Orange, também temos uma segunda história, totalmente independente que a Ichigo Takano criou chamada Haruiro Astronaut, que tem uma pegada mais “pura” de shoujo. Ela é super bonitinha e engraçada e realmente acaba aliviando um pouco toda a tensão, haha. Foi um presente mesmo!RECOMENDO Eu sei que mangá é o tipo de leitura que nem todo mundo curte, mas eu recomendo a leitura desse pra todo mundo. É uma história realmente linda e se você curte, romance e drama com certeza deveria dar uma chance pra Orange! Caso você goste de mangá e shoujo e ainda não leu, eu sinceramente, não sei o que está esperando…

Vocês já leram ou ouviram falar de Orange? Se sim, se leu, gostou ou não gostou ou quer ler, não deixa de contar pra mim nos comentários porque vou adorar falar sobre essa série! ❤

ASSINATURAFLAVIA

Um comentário em “Resenha: Orange, Ichigo Takano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s