Kerri Maniscalco · Nível de inglês Avançado · Resenha

Resenha: Stalking Jack The Ripper, Kerri Maniscalco

unnamed-1

SINOPSEA jovem Audrey Rose Wadsworth de dezessete anos nasceu filha de um lorde inglês e por isso, tem uma vida de luxo e privilégios à frente dela. Mas entre a vida social de chás e roupas de seda, ela guarda uma vida secreta proibida.

Contra a vontade do pai rigoroso e das expectativas da sociedade, Audrey Rose sempre escapa para o laboratório do tio para estudar a infame prática de medicina forense. Quando o trabalho a arrasta para uma sequência de corpos mortos de forma violenta, levando-a a investigar um assassino em série, a busca de Audrey Rose por respostas a leva direto para seu mundo protegido.

Skoob | Goodreads

OQUEEUACHEI

Stalking Jack The Ripper é mais um livro focado no assassino em série mais famoso do mundo: o Jack Estripador. E o mais legal dele é o fato de um dos responsáveis pela investigação do criminoso que chocou a cidade de Londres em 1888 é uma jovem de 17 anos de idade que é muito avançada para sua época. Audrey Rose é uma personagem que cativa desde o começo e que te arrasta para a investigação de uma forma que você quer chegar logo no fim do livro para saber quem a autora, Kerri Maniscalco escolheu para ser o assassino — afinal, a identidade dele nunca foi realmente descoberta, portanto é um prato cheio para escritores criarem suas próprias histórias.

O livro realmente prende, a narrativa flui super bem, além de ter personagens que cativam logo quando aparecem. Fora o suspense, que como falei ali em cima, deixa a gente devorando porque quer descobrir no que tudo vai dar.

No entanto, encontrei alguns probleminhas em relação a algumas coisas nesse livro. Em primeiro lugar, a necessidade de Maniscalco afirmar constantemente — de forma indireta — o feminismo da Audrey Rose e como ela é uma menina completamente diferente da sua época e em como seu desejo de ter um trabalho de homem é muito perigoso para sua reputação, além de mostrar diversas vezes ela lutando contra o machismo de todos os homens que a cercam.

Quer dizer, a personagem em si é simplesmente sensacional, mas algumas coisas ali foram colocadas de maneira um pouco…exagerada, talvez.

Não me levem a mal, como feminista, eu simplesmente adorei essa pegada e até mesmo diversos comentários da personagem — que mesmo vivendo em 1888, poderiam fazer sentido para nós nos dias atuais —, mas a verdade é que a autora reforçou tanto isso que acabou errando um pouco a mão e toda essa questão foi vista diversas e diversas vezes de forma que cansou um pouco durante a leitura. Às vezes estava acontecendo algo extremamente relevante ao mistério todo e a Audrey Rose “pausava” tudo para discutir com os homens ao seu redor como eles a viam como algo inferior e na hora de voltar para o acontecimento, não só a autora parecia ter se perdido um pouco ali, como também cortou um pouco todo o clímax de algumas cenas.

Outro fator que me incomodou durante a leitura foi a maneira dos personagens falarem. Durante todo o começo do livro, deu para perceber uma grande preocupação de Maniscalco de tentar reproduzir os relacionamentos e maneira de falar do fim do século XIX, mas conforme a leitura avançava, eu senti que essa característica foi desaparecendo um pouco e os personagens passaram a “falar” mais como nós do, século XXI, sem todas aquelas frescuras de antigamente. Particularmente, eu prefiro a maneira que a autora terminou o livro, no entanto, o fato de começar de um jeito e terminar de outro, isso me incomodou um pouco.

Mas vale lembrar que esse é o primeiro livro de Maniscalco, por isso, alguns desses “probleminhas” de escrita encontrados com certeza serão superados daqui para frente — ou pelo menos é o que espera-se, haha — e ainda assim não diminuíram o conteúdo da história que ela criou, nem seus personagens incríveis. O livro acabou seguindo o caminho no qual eu desconfiei desde o princípio (porque consegui adivinhar logo quem era o Jack da autora), mas nem assim isso significava que eu estava preparada para como as coisas desenrolaram (afinal, o caso real nunca foi realmente desvendado) e foi realmente satisfatório e um pouquinho dolorido também.

Para quem gosta de romance e está questionando “mas poxa, tudo isso e nem um pouco de romance?”. Não se preocupe, se assim como eu, você curte um bom romance até no meio de um mistério porque ele está presente ali, apesar de não ser o grande foco — porque né, Jack Estripador e a reputação de Audrey Rose, fora outros diversos problemas que ela tem precisavam de um espaço bem grande na história —, ele existe e ocorre de uma forma bem interessante e o Thomas olha, um chuchuzinho. A tensão sexual dos dois ali é daquelas que a gente adora acompanhar, fora que o relacionamento deles é uma coisa muito Sherlock e Watson, nossa narradora seria o Watson, se você ficou curiosx.

NOTAMUITOBOM

CONSIDERACOESFINAISStalking Jack The Ripper é um romance que tem de tudo um pouco, mas em especial um grande mistério. O livro tem alguns defeitos, mas o plot e a maneira que Maniscalco desenvolveu, além das pesquisas que ela fez para deixar a história o mais fiel à real possível acabam por sobressair qualquer coisa que achei negativa durante a leitura e eu realmente estou esperando ansiosa para ler a continuação — que descobri que existe ao preparar essa resenha, no entanto ainda não há título ou se seria uma duologia, trilogia ou série — e ver o que o futuro aguarda da Audrey Rose, em especial porque o final, apesar de bem fechado, deixou um ganchinho para coisas muito interessantes acontecerem com a nossa narradora.

RECOMENDOSe você gosta de romance histórico, crimes e romance, com certeza deveria dar uma chance para Stalking Jack The Ripper. Ele engloba esses três gêneros e é uma leitura que realmente te prende do começo ao fim! Vale muito a pena ler, sério! Se vocês lerem ou já leram, por favor, deixem nos comentários porque vou adorar conversas sobre esse livro! ❤

ASSINATURAFLAVIA

3 comentários em “Resenha: Stalking Jack The Ripper, Kerri Maniscalco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s