Mary E. Pearson · Nível de inglês Avançado · Resenha

Resenha: The Heart of Betrayal (The Remnant Chronicles #2), Mary E. Pearson

AVISO: CONTÉM SPOILERS DE THE KISS OF DECEPTION
Antes de começar a resenha, uma self-promotion básica, haha: se você já leu o post anterior daqui do blog, sabe que estou publicando o meu livro no Wattpad! O prólogo e o primeiro capítulo já estão publicados! Se puder ler, eu ficaria super feliz! Só clicar aqui

unnamed

SINOPSECapturados e mantidos em cativeiro no reino bárbaro de Venda, Lia e Raffe tem poucas chances de escapar e menos ainda de ficarem juntos.
Desesperado para salvar a vida de Lia, o assassino, Kaden, contou ao Komizar de Venda que ela possui um dom mágico e o interesse do Komizar na princesa é maior do que ela ou Kaden poderiam prever.
Enquanto isso, as bases de tudo que Lia acreditava estão desmoronando. Nada é simples: há Rafe, que mentiu para ela, mas sacrificou a liberdade para protege-la; Kaden, quem deveria assasina-la, mas agora a salvou; e o povo de Venda que Lia sempre imaginou ser bárbaro, mas agora descobriu que são pessoas que foram terrivelmente brutalizadas pelos reinos de Dalbreck e Morrighan. Lutando contra sua educação, seu dom e quem ela é, Lia deverá fazer escolhas poderosas que afetarão seu país, seu povo e seu próprio destino.

Skoob | Goodreads | Resenha TKOD

OQUEEUACHEI

Se você gostou de TKOD pare tudo que estiver fazendo e vá ler The Heart of Betrayal porque a coisa só esquenta no segundo volume da trilogia The Remnant Chronicles! Sério, a Mary E. Pearson conseguiu deixar a história ainda mais interessante aqui e o jogo deu uma pequena virada em relação a tudo que a Lia (e nós também) sabíamos sobre Venda. Em todos os sentidos.

THOB começa exatamente de onde o primeiro livro terminou e pega bem naquele ponto de “nem tudo é o que parece” e mergulha o leitor em várias intrigas. Dessa vez nós já sabemos quem é o assassino e quem é o príncipe e quem o coraçãozinho da Lia escolheu, mas além de lidar com problemas no relacionamento — porque não é fácil se apaixonar por um menino de fazenda e descobrir que na realidade ele era o príncipe que ela deveria casar e fugiu — também precisa viver em um jogo perigoso em Venda.

Um reino que surpreende não só a personagem principal, como também a gente, os leitores. Assim como Lia somos inseridos em uma realidade completamente diferente da do primeiro livro e descobrimos que nem tudo é preto e branco e toda essa construção foi realmente muito boa. Toda a relação dela com o reino, a gente sente junto. Fora que ainda tem muita coisa esperando nesse livro que pode deixar a gente bem chocado.

Em especial os jogos que Lia tem que fazer para se manter viva. A personagem cresce muito, em especial depois dos eventos finais envolvendo o irmão dela de TKOD. A personagem que sempre foi rebelde e até um pouco infantil tem que crescer rapidamente, aprender o jogo do poder e acima de tudo aprender como se manter viva em Venda sob o poder do Komizar, que gente, é um vilão que chega a incomodar um pouco porque é bem cruel e sádico.

Mas claro, Lia tem seus aliados, apesar de não poder contar com eles diretamente ou o tempo todo, com exceção talvez de Kaden — devo dizer que na história toda do triângulo, ele é meu favorito Sou team Kaden SIM, haha —, mas mesmo o personagem tem seus próprios problemas por causa da lealdade que tem com Venda e seu Komizar. E toda essa questão da personagem ter que “se virar” sozinha foi um dos fatores que mais gostei em THOB, porque ela não depende de homem nenhum para se salvar e muitas vezes precisa arregaçar as próprias para lidar com todo perigo e problemas em que se meteu. E isso é incrível. Precisamos de mais heroínas como a Lia.

O livro tem os pov do Kaden e do Rafe, embora o foco seja realmente na Lia. Exatamente como acontece em TKOD. Mas eles dão para entender não só os personagens um pouco melhor, como também, dão uma visão geral da história como um todo. Além dos personagens principais, também temos o pov da Pauline, para que a gente saiba o que está acontecendo fora de Venda e como o que aconteceu com a Lia refletiu em Morrighan, outro ponto positivo para a construção da história.

Quanto ao triângulo amoroso, boas notícias. Não há um grande foco nele e assim como tudo em relação ao enredo, Mary E. Pearson trabalhou bem com ele de forma que se encaixasse bem na história geral e não apenas se tornasse um romance focado nisso. Tudo tem seus motivos para acontecer e eu prometo que pode quebrar alguns corações porque várias escolhas têm que ser feitas nesse livro para que os personagens continuem vivos e várias delas envolvem traição. Porque o poder é um jogo sujo.

NOTACOISALINDA

CONSIDERACOESFINAISAs descobertas feitas nesse livro são de tirar o fôlego e tudo que acontece também. Ele prende do começo ao fim e é bastante tenso em diversos aspectos, o que torna tudo muito divertido de ler. Meu maior problema com ele foi em relação aos dons da Lia, eu senti que faltou um pouco mais de aprofundamento nesse assunto e em alguns momentos, eu senti como se ele aparecesse nas horas mais convenientes, mas não com muito gancho…

RECOMENDOSe você gostou de TKOD, com certeza vai gostar de THOB, especialmente porque esse segundo volume é ainda melhor que o primeiro! Então não deixe de continuar lendo a trilogia!

Caso tenha lido até aqui apesar dos spoilers do primeiro livro — apesar de que acho que não vai dar para entender muito aonde exatamente está o spoiler haha —, se gosta de fantasia épica que envolvam luta pelo poder, traições, magia e romance, o que está esperando para dar uma chance para essa trilogia?

ASSINATURAFLAVIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s